Cursos

O prazer da criação: cenografia e direção de arte no teatro e no cinema

Marcos Flaksman

POP – Polo de Pensamento Contemporâneo
Segundas e quartas, de 25 de novembro a 4 de dezembro de 2013, das 19h30 às 21h30
Valor: duas parcelas de R$ 180,00
Para mais informações: (21) 2286-3299 / 2286-3682

A oficina oferece uma visão geral da criação do espaço cênico no teatro e no cinema. Durante os 4 encontros com o diretor de arte e cenógrafo Marcos Flaksman, serão apresentados, sob diferentes aspectos, a cenografia e a direção de arte. Os temas vão ser ilustrados com projeções, incluindo trechos de filmes do acervo particular do professor, comentados sempre a partir do ponto de vista da construção visual da imagem final.

25 de novembro

Arquitetura, cenografia e dramaturgia no teatro. Um passeio pela história da arte, desde a arte greco-romana até os dias de hoje.

27 de novembro

A natureza da imagem cinematográfica e suas diferenças com o teatro: o real e o ficcional.
Os filmes de época. Locações e construção dos cenários através de "links" externos e internos.

2 de dezembro

A prática no cinema: análise técnica do roteiro e concepção da obra. Estabelecimento da linguagem visual com a direção, fotografia, figurino e outros departamentos. Projeto para o estúdio e a relação com a produção.

4 de dezembro

A implantação dos cenários, escolha dos materiais e noções de fotografia. Pós-produção: uso dos "blue/green screens", imagem ótica e a nova era da imagem digital de alta definição.

Marcos Flaksman

Marcos Flaksman é diretor de arte, arquiteto e cenógrafo de cinema, teatro, ópera e televisão.

Formado em Arquitetura pela UFRJ, assinou mais de 90 espetáculos, entre eles Dois Perdidos numa Noite Suja, O Assalto e Rasga Coração. No cinema, assinou a direção de arte de mais de 30 produções, tais como O que É Isso, companheiro? (1997), A partilha (2001), O veneno da madrugada (2006), Se eu fosse você 1 e 2 (2006/ 2009) e Budapeste (2009). Marcos Flaksman já recebeu os maiores prêmios de cinema e teatro, tais como Molière, Mambembe, da Associação Paulista dos Críticos de Arte, o Crystal Lens, em Miami, ABC de Cinema, Grande Prêmio da Academia Brasileira de Cinema e o troféu Candango, do Festival de Brasília.